VIROSE EM CACHORRO

Olá! Eu sou a Taty, mamãe do Lucky, e nesse post vamos entender mais sobre algo que pode parecer bobo, mas tem risco elevado e pode matar nossos peludos, que é a virose em cachorro! O seu já teve ou conhece os riscos? Se não, vem comigo, que te conto aqui!

Virose em cachorro

A virose canina é uma das principais causas de mortalidade dos nossos amados peludos pelo mundo todo. Ela, como o próprio nome já diz, é causada por vírus responsáveis por diversos sintomas que podem evoluir ao óbito, ocorrendo, geralmente, por meio de contato com a urina, fezes ou secreções de cachorros portadores de diversos vírus que podem causar muitos tipos de viroses diferentes.

Que perigo né? Mas como posso identificar uma virose no meu pet? Quais são as viroses que podem afetá-los?

Calma! Fica tranquilo que a gente separou aqui os principais tipos de viroses e seus sintomas para você entender direitinho como cada uma delas funciona! Veja só:

Cinomose

Você sabia que a cinomose é uma virose? Sim, essa doença terrível que mata a maioria dos cães contaminados é causada por um vírus e atinge principalmente filhotes e cães sem a vacina V10 ou V8, saiba a diferença entre as duas vacinas aqui.

O agente causador da cinomose é altamente contagioso, e podendo afetar cães de todas as raças e idades, na falta da vacina preventiva. Além disso, importante saber que em estágios avançados podem levar à morte.

O Tempo de exposição é de cerca de 10 dias, onde começam a aparecer os primeiros sinais do vírus:

  • Perda de apetite;
  • Diarreia e vômitos;
  • Corrimento ocular e nasal. 

Em casos mais avançados:

  • Órgãos e sistema nervoso podem ser comprometidos;
  • Tiques nervosos;
  • Convulsões;
  • Paralisia e problemas respiratórios.

Essa virose em cachorro pode ser transmitida de duas formas: 

  • Contato com secreções nasais, oculares e orais ou com as fezes de animais contaminados pelo vírus;
  • Contato de animais sadios com seres humanos que carregam o vírus no seu corpo ou nas suas roupas. 

Você pode saber mais sobre a cinomose aqui no blog!

Parvovirose

O vírus da parvovirose pode afetar todos os cães. Além de ser extremamente contagiosa, esse tipo de virose em cachorro apresenta taxas altíssimas de mortalidade. 

O período de incubação desse vírus é de 4 a 14 dias após o contágio com aparecimento dos primeiros sintomas: 

  • Febre e indisposição;
  • Diarreia muito escura, com sangue, desidratação e muito fedida;
  • Perda de apetite;
  • Vômitos. 

As formas mais comuns de transmissão desse vírus são: 

  • Exposição de animais sadios às fezes contaminadas;
  • Uso de objetos utilizados por animais doentes, como vasilhas de ração e água, por exemplo.

Por isso, ao perder um animal com parvovirose, é indicada a limpeza pesada do ambiente e descarte adequado de todos os pertences do peludo para evitar novas contaminações. Além disso, os veterinários recomendam que o ambiente não receba um novo pet num período mínimo de 6 meses, que é o tempo que o parvo pode sobreviver no ambiente.

Também há prevenção contra essa virose na vacina V8 e V10! E você pode saber mais detalhes sobre parvovirose nesse post.

Coronavirose

O Coronavírus Canino é o causador dessa doença, que, embora considerada menos grave, é muito semelhante à Parvovirose. Os sintomas são praticamente iguais e o diagnóstico correto só é feito a partir de exames em laboratório. 

A principal forma de contágio é o contato com fezes de animais contaminados. Uma vez instalado no organismo, ele ataca as células do intestino responsáveis por absorver nutrientes e surgem diarreia e inflamação intestinais que podem ser graves.

Também é possível evitar a coronavirose com as vacinas anuais de V8 ou V10 e você compreender mais sobre essa virose aqui.

Parainfluenza canina

Essa virose em cachorro é responsável pela transmissão da gripe canina. Após o contato com o vírus, os sintomas costumam aparecer depois de 9 dias. 

Como o vírus ataca o sistema respiratório, os principais sintomas envolvem: 

  • Tosse seca;
  • Febre;
  • Perda de apetite;
  • Aparecimento de secreções no nariz e nos olhos. 

Geralmente, não é grave, mas pode implicar problemas mais sérios, como pneumonia. Com isso, a gente já consegue identificar algumas viroses presentes em cada caso nos nossos bichinhos. Mas aí a gente se pergunta: tem como prevenir? A resposta é SIM! 

Prevenção de virose em cachorro

Assim como nos casos de diversas outras doenças, as viroses em cachorro podem ser evitadas por meio da vacinação, que deve ser administrada no pet ainda filhote a partir dos 45 dias de vida e ter reforço anual.

A necessidade de vacinar o seu filhote da maneira adequada fica ainda mais óbvia quando levado em conta o fato de que algumas das viroses em cachorro não contam com medicamentos específicos para a sua cura. Desta forma, o tratamento é baseado em aliviar os sintomas do animal, sem que ele consiga se livrar do vírus por completo.

Para proteger seu peludo de uma série de perigos, inclusos algumas das principais viroses caninas, o ideal é que ele receba a vacinação adequada: 

  • Aos 45 dias de vida: 1ª dose da vacina polivalente;
  • Após 3 semanas:
    • 2ª dose da vacina polivalente + 1ª dose Tosse dos Canis;
    • 3ª dose da vacina polivalente + 2ª dose Tosse dos Canis;
    • 1ª dose da vacina contra Giardia;
    • 2ª dose da vacina contra Giardia + Vacina Antirrábica. 

Saiba mais sobre a vacinação de cachorro, no manual da vacina aqui no blog.

O tratamento das viroses caninas pode variar, e dependerá tanto do vírus específico contraído como do estágio de desenvolvimento em que a doença se encontra. Remédios e a reposição de fluidos podem ser recomendados como formas de aliviar os sintomas dos animais com virose. No entanto, ao notar sinais de que seu pet pode estar contaminado, a melhor pedida é levá-lo a uma clínica veterinária, para assim definir a sua melhor forma de tratamento.

Impressionante o quanto nossos cãezinhos estão expostos, não é mesmo? Conte aqui: seu pet está com as vacinas em dia para prevenção de virose em cachorro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *