Cinomose, o que é isso, quais sintomas, tem cura?

O que é a cinomose

Se você tem um cachorrinho em casa, provavelmente já ouviu falar em cinomose. Esta é uma doença canina provocada por um vírus da família Paramyxoviridae. Ela é altamente contagiosa, e quando não tratada pode deixar graves sequelas ou até levar o cão a óbito. Sim, a cinomose é uma doença muito grave e pode atingir cães de todas as idades, podendo ser fatal. os dados são alarmantes com taxa de mortalidade de 50% em cães adultos e 80% em filhotes.

Aprenda neste post sobre esta doença canina: o que é a cinomose, sintomas, se tem cura e se é transmissível para os humanos.

O que é a cinomose?

A cinomose é uma doença infectocontagiosa canina causada por um vírus. Além de altamente contagiosa, normalmente acomete cães que não terminaram o esquema vacinal ou em adultos que não costumam receber o reforço anual com a vacina múltipla, conhecida como V10 ou V8.

Este vírus pode atacar o sistema respiratório, gastrointestinal e nervoso, fazendo com que o animal manifeste sintomas desde alterações na pele até problemas neurológicos que levam à morte. A cinomose afeta principalmente animais com imunidade baixa (clique aqui e veja como aumentar a imunidade do seu pet).

A cinomose é um vírus próximo ao sarampo do humano. Porém, não afeta os humanos. E mesmo sendo altamente infecciosa, não afeta outros animais domésticos além do cão.

Transmissão da cinomose

A transmissão da cinomose é feita por meio das vias aéreas ou por objetos, como os brinquedos. Por isso é extremamente necessário observar os sintomas que seu pet demonstra ou se algum pet que ele teve contato ficou doente. Pois os cães podem ser assintomáticos e não demonstrar sintoma da doença. 

O cão contaminado elimina o vírus pelas fezes, secreções nasal e ocular e urina por até 90 dias após a exposição ao vírus. Por isso, neste período é necessário que ele se mantenha afastado de outros animais.

Além dos sintomas, é importante entender o comportamento do vírus no ambiente. Ele é altamente resistente e vive muito bem em ambientes frios e secos. Mas tem comportamento e resistência diferente de acordo com cada cenário. Veja a diferença da resistência do vírus onde teve um cão com cinomose:

  • Ambientes arejados e com luz natural, se forem desinfetados com frequência, ele deve resistir em média 3 meses após sair do animal contaminado. 
  • Enquanto em lugares mais fechados, com menos circulação de ar e luz solar, o vírus pode viver até 6 meses.

Para evitar o contágio, é extremamente necessário não deixar seu cachorro ter acesso livre à rua ou contato com animais que não possuam um tutor. Pois isso pode acabar levando o vírus para sua casa. A grande taxa de filhotes com cinomose acontece porque normalmente ainda não tomaram todas as doses de vacina e por estarem com o organismo mais sensível. Porém, animais idosos ou debilitados também são mais propensos a se infectar com o vírus.

Cinomose sintomas

Os primeiros sintomas da cinomose são muito comuns como a diarreia. Isso porque o primeiro órgão atingido geralmente é o sistema digestório. Os principais sintomas em cada fase são:

Fase respiratória: é a primeira fase da cinomose. Seus principais sintomas são:

  • Tosse com secreção ou seca
  • Pneumonia
  • Secreção nasal
  • Dificuldade respiratória
  • Febre
  • Secreções oculares

Fase gastrointestinal:

  • Vômitos e diarreia com ou sem sangue
  • Falta de apetite 
  • Dor abdominal

Fase neurológica:

  • Andar em círculos
  • Movimento de pedalagem
  • Paralisia
  • Nistagmo (movimento involuntário dos olhos)

Fase cutânea:

  • Pústulas abdominais (lesões com pus na pele)
  • Espessamento nos coxins e focinho
  • Conjuntivite e lesões na retina

Como o início dos sintomas são muito inespecíficos, geralmente os tutores demoram mais para descobrirem. Então a doença avança e por isso se tem alta taxa de mortalidade.

Prevenção da cinomose

A única forma de prevenir que seu cachorro não tenha cinomose é realizando a vacinação com a vacina polivalente desde que seu filhote tenha 45 dias de vida.

Segundo a Dra. Mariana, “a vacina da cinomose, conhecida como v8 ou v10, deve ser aplicada em 4 doses com intervalo de 21 a 30 dias e é necessário aguardar no mínimo 10 dias após a última dose para sair com o cachorro em segurança.”

Por conta disso é essencial vacinar seu filhote corretamente e não perder os prazos da vacina. A Dra. Mariana complementa que “é importante revacinar seu cão anualmente tanto a vacina polivalente quanto a da raiva”. Além disso, sempre observe o local onde você vai realizar a vacinação do seu pet, se tem qualidade e se está devidamente armazenada.

Cinomose tem cura?

Se for tratada precocemente e o animal for bem resistente, é possível que ele sobreviva. Porém, não existe um medicamento específico para a cinomose! Por isso o seu alto número de mortalidade. O tratamento da cinomose normalmente é sintomático e o ideal é que o animal fique internado para que possa receber o máximo de cuidados possível para tentar se recuperar.

Cinomose pega em humanos?

Felizmente, a cinomose não é uma zoonose! Ela afeta somente os cães. Porém, um humano é capaz de transmitir se tiver contato com um cão infectado. Pois ele se torna um meio de transmissão para o vírus, que chamamos de vetor. Por isso é ideal não ter contato com animais na rua para que não contamine seus pets em casa.

Se você gostou deste texto compartilhe com seus amigos, para que eles possam conhecer melhor sobre a cinomose canina e quais os sintomas e formas de prevenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.