Erliquiose, o que é isso?

Erliquiose

Se você tem um cachorro, é quase impossível não ficar preocupado com a saúde dele, principalmente quando ficam doentes. Muitos tutores não sabem, mas quando um cão é picado por um carrapato ele corre o risco de contrair alguma doença do carrapato, sendo que uma das doenças que englobam este quadro é a Erliquiose. Vamos conhecer um pouco mais sobre este tema e esclarecer Erliquiose, o que é isso mais a fundo?

Erliquiose: o que é isso?

A Erliquiose é uma doença infecciosa transmitida por carrapatos com maior incidência no verão. Isso porque nesta época os carrapatos se proliferam mais, tendo mais chances de picar nossos pets. Além disso, a Erliquiose não tem uma faixa etária, sexo ou raça de cachorro de preferência, ela pode afetar todos os cães.

Trata-se de uma doença causada por uma bactéria gram-negativa do tipo Rickettsia, que é transmitida por carrapatos. A Erliquiose pode ser classificada de diferentes formas, pois depende do jeito que ela se manifesta no pet, sendo:

  • Erliquiose monocítica canina;
  • Erliquiose monocítica felina;
  • Erliquiose granulocítica canina.

Porém, normalmente a que é mais comum de se encontrar no Brasil é a Erliquiose monocítica canina, é uma infecção muito importante e é necessário tomar cuidado, pois se o pet não for tratado pode vir a óbito.

Erliquiose: sintomas

Quando falamos sobre Erliquiose, precisamos entender que ela possui um período de incubação mínimo de 21 dias. Porém, o animal pode ficar de 6 meses até 5 anos sem apresentar sintomas clínicos. Além disso, ela possui diferentes estágios e é extremamente importante conhecer cada um deles, para saber qual a fase que seu pet está. Por isso, fique sempre atento aos principais sintomas das fases:

  • Fase aguda: quando o pet é picado, demora um prazo de 21 dias para a bactéria se multiplicar e o organismo do pet tentar combater. Por isso, neste período pode ser que não se note nenhum sintoma específico. Porém ele pode apresentar quadros de apatia, perda de apetite e em exames de sangue os leucócitos podem estar diminuídos. Caso o pet não consiga combater a doença sozinho ele pode apresentar outros sintomas a partir de três semanas após a picada como: fraqueza, manchas na pele, sangramento pelas narinas ou urina. Está fase se não tratada pode levar o pet a óbito.
  • Fase sub-clínica: os sintomas da fase aguda diminuem com o tratamento, fazendo com que o pet entre nesta fase sub-clínica. A bactéria continua no organismo e isso pode durar anos para o exame de sangue se normalizar. Se o corpo criar anticorpos para a Erliquiose eles podem se depositar em vários órgãos, assim fazendo com que entremos na terceira fase.
  • Fase crônica: os sintomas são muito parecidos com os da fase aguda, porém, o sistema imune já está mais debilitado, fazendo com que ocorra uma anemia e diminuição de plaquetas. Os anticorpos que estão nos órgãos podem causar outros problemas de saúde. Podendo fazer com que ocorra aumento de órgãos, problemas neurológicos, paralisia dos membros ou fraqueza.

Por isso a importância de conhecer os sintomas e procurar um veterinário quando algum deles for percebido pelo tutor, para diagnóstico profissional e tratamento urgente.

Erliquiose: tratamento

Não existe uma fase em específico que se possa tratar ou que seja melhor do que a outra para início do tratamento. Assim, o pet com Erliquiose pode ser tratado, independentemente da fase que está. Para realizar o tratamento é necessário realizar o uso de medicamentos antimicrobianos, para combater a doença. O tratamento para Erliquiose costuma durar em torno de 3 a 4 semanas se o pet estiver na fase aguda ou até mesmo 8 semanas se estiver na fase crônica.

Dependendo da gravidade do caso, o pet pode ter que receber uma transfusão de sangue ou fluidoterapia. O tratamento deve ser prescrito por um médico veterinário que tenha examinado seu pet e os exames laboratoriais, para saber qual a fase que ele se encontra.

Erliquiose: prevenção

Após conhecer um pouco mais sobre a Erliquiose, vamos falar quais são as formas para proteger o pet dessa doença?

Infelizmente ainda não existe uma vacina para Erliquiose, por isso sempre fique atento com seu amigo de quatro patas. A prevenção para doenças do carrapato como um todo, inclui:

  • Manter a grama sempre limpa, caso tenha jardim;
  • Verificar diariamente se tem a presença de ectoparasitas no corpo do animal, em especial atrás do rabo, entre as patas e atrás das orelhas que são locais comuns para carrapatos se abrigarem;
  • Utilizar spray repelente de neem para afastar os carrapatos sempre que for sair de casa com o pet ou diariamente se tiver grama em casa.

A Total Neem se preocupa com a saúde do pet, por isso possui na linha Pet, o Suplemento Nutricional – Pó de Neem, que auxilia no aumento da imunidade, previne doenças e ainda repele ectoparasitas, mosquitos, entre outros. Temos também o Repelentes para aplicar diretamente no pelo do animal antes de sair para passear. Assim podendo aproveitar o passeio de forma calma e segura.

Relato de caso: Aka

A Aka é uma Chow Chow blue resgatada de maus tratos. Foi encontrada dentro do porta malas de um carro lotado de cachorros e carrapatos. Após a adoção, foi realizado um exame de PCR para doenças do carrapato, mas os resultados foram todos negativos.

Contudo, como vimos, a Erliquiose pode ficar sem manifestar sintomas e diagnóstico por anos, incubada no organismo do pet. Alguns meses depois, Aka passou por checkup para realizar a cirurgia de Castração e foi diagnosticada com anemia que é um sintoma de Erliquiose. Então repetiu-se o PCR, no qual deu positivo para Erliquia.

Aka não apresentava nenhum sinal clínico de Erliquiose durante todo o tempo, salvo leve anemia. Porém, ela faz o uso de toda linha da Total Neem desde o dia da adoção, por isso estava assintomática. O Neem possui excelente ação antibacteriana e com isso fortaleceu o sistema imunológico, fazendo com que ela não manifestasse a doença. Saiba mais sobre a ação do neem contra o carrapato NESSE POST.

Após o diagnóstico, Aka passou por 30 dias de tratamento sem nenhuma reação aos antibióticos e nem manifestação gástrica, tendo como aliado para o conforto estomacal, o pó de neem. Hoje ela está super bem e saudável e você pode conferir mais sobre ela no Instagram @ursinhoschowchow.
E o seu pet, está protegido com Neem? Adquira o seu Suplemento nesse link!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *