Tipos de agrotóxicos e o Neem

Agrotóxicos e o neem

Um dos maiores desafios da agricultura mundial é produzir minimizando perdas e prejuízos, com pragas e doenças diversas nas lavouras, para manter o preço das safras e o agronegócio sadio e sustentável. Contudo, a verdade é que a luta contra insetos e pragas que devastam as lavouras  tem sido combatida com agrotóxicos que podem causar danos à saúde humana além de prejudicial ao solo e meio ambiente. Mas tem alternativa orgânica para os inseticidas também. e vamos te contar sobre os tipos de agrotóxicos e como o neem pode colaborar para a agricultura, nesse post!

O que são agrotóxicos?

Agrotóxicos são produtos químicos, físicos ou biológicos usados na agricultura e pastagens para alterar a composição química da flora e evitar ataques e infestações em pragas agrícolas que devastam plantações e pastagens. Tais ataques podem ser de insetos, formigas e até fungos que consomem e tornam o negócio agro inviável.

Os agrotóxicos, também conhecidos como defensivos agrícolas, agroquímicos e pesticidas mais utilizados no Brasil são sintéticos. Ou seja, não naturais e por isso, a médio e longo prazo, podem gerar danos diversos no consumo de alimentos protegidos por eles, inclusive câncer, doenças hepáticas e renais. Contudo, já há inseticidas naturais que não causam danos aos humanos, animais e nem ao meio ambiente, como acontece com os agrotóxicos sintéticos.

Embora esteja cada vez mais em alta a busca por uma alimentação saudável e por isso a busca por produtos orgânicos acessíveis, o Brasil ainda é o campeão em uso de agrotóxicos sintéticos usando inclusive substâncias proibidas em vários outros países. Como consequência, temos ⅓ da produção de alimentos consumidos no país com uso de agrotóxico acima do aceitável, segundo dados da Anvisa. A avaliação da agência analisa o tipo de agrotóxico utilizado e a quantidade presente no alimento, sendo os pimentões, alface e morango comumente os mais afetados.

Tipos de agrotóxicos

Há vários tipos de agrotóxicos e sua classificação é associada ao tipo de praga que ele combate, ao químico utilizado, bem como os seus efeitos na saúde humana e no meio ambiente.

Quanto ao foco de combate, há 4 categoriais principais:

  • Inseticida: com foco em combater insetos
  • Fungicida: combate fungos nas plantas
  • Desfoliantes: combate o crescimento de ervas daninhas ao redor da plantação.
  • Fumigantes: combate bactérias presentes no solo.

Os tipos de agrotóxicos mais comercializados no Brasil são os herbicidas e fungicidas.

Além do foco de combate, os agrotóxicos são classificados pela Anvisa de acordo com o grau de toxicidade para a saúde humana, que deve ser identificado na embalagem do produto, variando entre:

  • Pouco tóxico: com identificação em verde, a dose de letalidade fica entre 500 e 5000 ml/kg
  • Medianamente tóxicos: identificado em azul, tem dosagem letal entre 50 e 500ml/kg
  • Altamente tóxicos: com rótulo em amarelo, a dosagem mortal fica entre 5 e 50ml/kg
  • Extremamente tóxicos: o agrotóxico mais perigoso identificado em vermelho, tem dosagem letal muito baixa com menos de 5 ml/kg humano.

Uso de Agrotóxico X produtos orgânicos

O uso do agrotóxicos é uma prática comum no Brasil e ele se intensifica em alguns tipos de plantações e para a produção de alimentos fora de sazonalidade também. Por isso, para quem busca uma alimentação mais saudável é importante ter alguns cuidados na seleção de produtos de consumo para evitar o excesso ou todo o agrotóxico sintético prejudicial à saúde:

  • Busque por alimentos da época, estes são comumente menos carregados de agrotóxicos.
  • Alimentos rotulados com identificação do produtor costumam ter maior comprometimento com a qualidade.
  • Lavar bem os alimentos, retirar as cascas e as folhas externas é um modo de reduzir o consumo de agrotóxicos de contato, ou seja, aqueles que ficam mais na superfície do alimento.

Enquanto o produtor que busca por uma agricultura ecologicamente correta e a qualidade de um produto cada vez mais orgânico, a saída para combater pragas e infestações sem perder suas safras ou promover aumentos exorbitantes em seu produto, é a busca por soluções eco sustentáveis, que são os agrotóxicos e pesticidas naturais. afinal, a natureza é linda e muitas das soluções que os humanos tentam criar em laboratórios já estão prontas em forma de ervas, plantas e árvores, como o neem.

Neem na agricultura

O neem é uma árvore medicinal não só para humanos e animais, mas também para o cuidado com outras plantas. Isso porque dentro dos seus bioativos temos poderosos agentes que combatem fungos, bactérias e insetos que devastam plantações, protegendo a produção agrícola sem gerar danos à saúde humana ou animal no consumo de suas produções. Isso porque o grau de toxicidade do neem para aves e mamíferos é quase nulo e sem comparações com as soluções sintéticas.

O neem possui 5 bioativos potentes na proteção agricultura propiciando uma produção orgânica de baixo custo, são eles:

  1. Azadirachtin: o mais conhecido bioativo do neem é um Repelente poderoso para insetos.
  2. Nimbin: possui várias utilidades, mas para a agricultura é um incrível antifúngico
  3. Nimbidin: age no solo e nas plantas como antibacteriano e antifúngico, cuidado do solo com o uso da torta de neem e nas plantas, com pulverização do óleo de neem.
  4. Salannim: mais um bioativo Repelente de altíssima qualidade.
  5. Quercetin: um dos bioativos mais incríveis do neem, possui ação antioxidante e bactericida, protegendo as plantações e o solo de possíveis doenças e infestações.

Por fim, o neem é 100% natural, sem uso de química poluente para o meio ambiente e nem gerando lixos e descartes, visto ser 100% reaproveitado. Além disso, o neem é um fertilizante orgânico para o solo, promovendo nutrição da terra, eliminando focos de doenças e bactérias do solo antes do plantio e agindo também como  adubo para enriquecer a terra e as mudas com nutrientes incríveis do neem, pela torta ou pó de neem.

E você, produtor, já conhece a linha Agro da TotalNeem? Clique aqui e faça a sua produção mais sustentável e orgânica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *