Animal de apoio emocional

Animal de apoio emocional

Já ouviu falar que algumas doenças psiquiátricas em humanos podem ter, como tratamento alternativo e complementar, uma terapia assistida por animais, ou TAA? Isso acontece quando o animal se torna parte do tratamento e sua presença alivia sintomas e angústias do humano, se tornando seu animal de apoio emocional.

Vamos entender mais como essa terapia funciona?

O que é terapia assistida por animais?

A TAA ou terapia assistida por animais é uma alternativa para ajudar os humanos em tratamento contra doenças perigosas e cada vez mais comuns como ansiedade, depressão, síndrome do pânico, entre outras.

Ao iniciar a terapia assistida por animais, a pessoa passa a ter um animal de estimação que acompanha seu tutor onde quer que ele vá, podendo ter licença para entrar em todo e qualquer ambiente, viajar com o tutor em cabine de avião entre outras peculiaridades.

Assim, ele será um animal de apoio emocional e irá colaborar para o controle de doenças psiquiátricas, ajudando inclusive a diminuir a quantidade e dosagem de medicações, de acordo com as melhorias que proporcionam aos humanos.

Como funciona a terapia com animais?

Muitos consideram que apenas o fato de ter um animal em casa já ajuda muito no quadro de patologias psiquiátricas e já existem vários estudos que comprovam todos os benefícios emocionais que o convívio familiar com animais pode proporcionar. Inclusive, NESSE ESTUDO, foi concluído que os animais conseguem potencializar o efeito de medicamentos, acelerando o tratamento de depressão, por exemplo.

Contudo, a terapia assistida por animais ‘oficial’ é indicada e reconhecida pelo médico psiquiatra. Isso porque o caso simples de apenas ter um pet em casa é classificado como benefícios de ter um Animal de Estimação que qualquer pessoa pode usufruir. Enquanto o Animal de apoio Emocional, ou ESAN, proporciona benefícios muito além do comum constatado no dia a dia de uma família com pets.

Quando é constatado que alguém precisa de assistência emocional e um pet é escolhido para essa função, ele se torna 100% responsabilidade do paciente e só isso já gera um motivo a mais para o paciente de depressão levantar da cama e cuidar do seu animal, o que muitas vezes é um desafio.

Um animal de apoio emocional estará presente na vida do seu tutor em quase 100% do tempo, fazendo companhia, gerando felicidade e troca de afeto constante. Essa movimentação emocional abaixa os níveis de stress, ansiedade e dão motivação para a pessoa reagir às fragilidades impostas pela doença. 

Como ter um animal de apoio emocional?

E como ter um animal de apoio emocional e usufruir de todos esses benefícios? Para começar, é preciso que o seu médico psiquiatra ateste a real necessidade dessa terapia. Embora todo pet possa gerar inúmeros benefícios para a saúde e bem-estar humano, a terapia é um caso específico, bem como treinamento e acessos que esse animal terá ao ser atestado como ESAN.

O segundo ponto é escolher o animal: qual espécie, raça ou SRD você mais se identifica e mais se encaixa na sua rotina? Isso porque não adianta querer um animal super agitado se sua rotina é muito caseira e pacata, e vice-versa. O animal será seu companheiro do dia a dia. Por isso, precisa ser compatível com a sua realidade. A espécie mais comum para ESAN é o cachorro, mas qualquer animal que se encaixe na sua rotina pode ser ESAN.

Com o pet escolhido, é hora de ensiná-lo a viver na sua rotina, socializando, adaptando-o com seus horários, acostumando-o a frequentar os ambientes que você precisa estar e com seus translados durante o dia. Contudo, isso precisa ser gradual, feito com adestramento positivo e sem exageros para que o animal curta essa vida para qual está sendo preparado e veja em seu tutor um super amigo de grandes aventuras e não aquele chato que te leva pra cima e pra baixo contra sua vontade.

O adestramento e a rotina vão criar um laço de afinidade, conexão e afeto entre animal e tutor muito forte e ele será a base dessa terapia. Por isso, seu pet precisa estar com saúde em dia, bem cuidado e sempre com medidas preventivas para evitar doenças parasitárias. Por outro lado, seu psiquiatra precisa fornecer a declaração de Animal de Suporte emocional para viabilizar os acessos do pet.

Declaração de animal de suporte emocional

Um animal de suporte emocional tem o direito de acompanhar seu tutor nos mais diversos ambientes inclusive de viajar com ele na cabine do avião (e não no compartimento de cargas) independente do porte dele. Contudo, para que esse direito seja respeitado, o médico psiquiatra precisa atestar essa necessidade do seu paciente e fornecer a ele uma declaração de animal de suporte emocional, declarando que de fato aquela pessoa tem necessidade médica da companhia do seu animal.

Nesta declaração deve conter os dados completos do paciente e do seu animal, bem como nome completo, CRM, carimbo e assinatura do médico. Além disso, no corpo da declaração o médico deve descrever brevemente o caso do paciente, apontando qual é a sua patologia, como o animal colabora no tratamento e porque sua presença se faz necessária no dia a dia, sendo essencial que o pet acompanhe o tutor.

Em alguns casos, como em viagens, a companhia aérea pode pedir uma declaração específica para o evento (a viagem), com data recente e assinatura do médico, seguindo um padrão disponibilizado pela empresa, como acontece com a Azul na declaração disponibilizada no site deles, veja o exemplo aqui.

Cuidados essenciais com animal de apoio emocional

Seu pet precisa estar com a saúde em dia e evitar de todos os modos ficar doente, como todo pet, na verdade. Porém, ele estará muito mais exposto aos perigos do mundo, por estar contigo por todos os lados, correndo risco de encontrar insetos, pulgas, carrapatos e vermes a cada esquina.

Por isso é fundamental manter os cuidados preventivos com a saúde dele de modo natural. Veja essas dicas:

  • Ofereça o Suplemento Nutricional Pet todos os dias a ele. Assim ele terá alta imunidade, vitaminas, minerais, um protetor gastrointestinal e efeito repelente para parasitas no seu dia a dia.
  • Antes de sair e ao longo do dia, passe o Repelente de Neem no corpinho do seu pet. Desse modo você evita que insetos diversos piquem o seu pet, inclusive o mosquito transmissor da leishmaniose, além de afastar pulgas e carrapatos.
  • Ao chegar em casa, higienize as patas do pet com a Loção de Neem. Além de limpar, ela vai hidratar os coxins cansadinhos de bater patinha pela rua contigo, além de  ganhar uma leve massagem nas patinhas.

Aliás, todo pet merece esse cuidado ao sair na rua, quem aí já tem esse ritual presente na rotina do pet?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *